História da Cidade de Caldas Novas Como Surgiu Água Quente

Um dos destinos turísticos mais procurados do Brasil, Caldas Novas é nacionalmente conhecida por suas águas termais, que compõem o maior manancial hidrotermal do mundo e recebem mais de quatro milhões de turistas por ano, atraídos pelas propriedades medicinais das piscinas termais. Apesar de ser um atrativo tão popular – Caldas Novas é a quarta cidade turística não-capital do Brasil -, poucos conhecem a verdadeira origem das águas termais que fazem da região tão importante para o turismo nacional e internacional.

Águas

Piscinas termais de Caldas Novas

Foto: Goiás Turismo

A explicação mais frequentemente ouvida é que as águas termais de Caldas Novas (e da vizinha Rio Quente) são originadas de um vulcão (hoje extinto), que, pressionando as águas por gases e por calor, faz com que elas jorrem através de rachaduras nas pedras. A cratera do suposto vulcão que aqueceu as águas da cidade seria hoje a Serra de Caldas.

Serra

Vista de Caldas Novas da Serra de Caldas, em Goiânia

Foto: Goiás Turismo

Por mais que a ideia de ter um vulcão aqui no Centro Oeste pareça tentadora e muito interessante, a verdade é que as águas termais de Caldas nada têm a ver com vulcanismo. De acordo com trabalho publicado pelos pesquisadores Ycarim Melgaço Barbosa e Mayra Caiado Paranhos sob o título de “Turismo e os mitos das águas termais da Serra de Caldas”, as águas termais de Caldas e o ribeirão de águas quentes de Rio Quente têm origem na formação de um lençol muito profundo, que as águas da chuva alcançam através de rachaduras nas pedras. Além disso, não há compostos de origem sulfurosa nas águas de Caldas Novas, como o enxofre, o que também anula a hipótese do vulcão.

Informações da Associação das Empresas Mineradoras das Águas Termais de Goiás (AMAT) confirmam essa afirmação. Segundo a AMAT, as águas termais de Caldas Novas e Rio Quente não têm vinculação nenhuma com o vulcanismo. Elas são originadas a partir das águas das chuvas que penetram no chão pelas fraturas das rochas, chegando a profundidades de mais de 1000 metros, onde são aquecidas pelo aumento da temperatura no centro da Terra. As águas, então aquecidas, retornam à superfície através das fraturas das rochas, e surgem no Rio Quente e na Lagoa de Pirapitinga, e em Caldas Novas são bombeadas em poços, e saem com temperaturas entre 34°C e 58°C.

Modelo esquemático do fluxo de água que forma as águas termais de Caldas Novas.

Fonte: AMAT

Somente em 1722 é que estas águas quentes foram descobertas. Quem as encontrou foi o sertanista Bartolomeu Bueno da Silva, filho do bandeirante Anhanguera, que procurava ouro e pedras preciosas. Não encontrou os tesouros desejados mas descobriu as fontes termais de maior vazão em todo o mundo!

Hoje, a cratera do vulcão é a Serra de Caldas; Caldas Velhas formam as fontes do município do Rio Quente, compreendendo o complexo turístico da Pousada do Rio Quente; Pirapitinga é onde se encontra a Lagoa Quente e Caldas Novas deu nome à cidade da qual estamos tratando.

Como se formam as águas quentes?

0 maior estudo sobre o termalismo de Caldas Novas e Rio Quente foi realizado pela empresa estatal Fumas Centrais Elétricas, em função da possível influência da barragem da Usina Hidrelétrica Corumbá I sobre o lençol termal da região, que estaria sob o risco de esfriar.

De acordo com Furnas, o fenômeno das águas quentes decorre de características geológicas e topográficas peculiares. As águas são aquecidas com o calor proveniente do interior da Terra, em camadas profundas da crosta terrestre.

O subsolo da região é constituído por camadas de xisto e quartzito, ambas impermeáveis. Entretanto, estas rochas têm consistências diferentes: o xisto é uma formação rochosa mais plástica, isto é, é mais moldável pelas forças exteriores; já o quartzito é uma rocha mais rígida, sob pressão, permitindo a formação de grandes conjuntos de fraturas. É nesta camada de quartzito onde se encontram os reservatórios de águas termais.

0 processo de formação do aqüífero termal se inicia com a infiltração da água da chuva no topo das Serras de Caldas e da Matinha, que estão a cerca de mil metros de altura em relação ao nível do mar. A água quente, confinada sob as camadas de xisto e quartzito, está submetida a uma pressão muito grande, equivalente à pressão de uma coluna d’água de mais de 600 metros de altura (desde onde se encontra confinada até o topo das Serra).

Turismo

Caldas Novas é um dos mais importantes pólos turísticos do estado de Goiás e tende a se tornar um grande pólo turístico internacional.

Sua infra-estrutura hoteleira conta hoje com mais de 80 hotéis, das mais diversas categorias, desde os mais sofisticados até os mais simples, todos dotados de piscinas termais para uso de seus hóspedes.

Além das águas quentes, atração principal da cidade, existem outros pontos turísticos que merecem destaque:

Parque Estadual da Serra de Caldas Novas

O “Parque Estadual da Serra de Caldas Novas” (PESCAN) está localizado entre os municípios de Caldas Novas e Rio Quente, no Sudeste Goiano e distante somente 5 km do centro de Caldas Novas e a 174 km de Goiânia.

Possui uma área de 123 km2 em formato elipse, sendo o topo constituído de um grande platô, as laterais com encostas que formam muralhas naturais, e o sopé da serra fazendo divisão com fazendas e loteamentos urbanos.

Foi criado em 1970 com o objetivo maior de proteger a área de captação da chuva que abastece o lençol termal, principal agente no desenvolvimento do complexo turístico e de lazer que se estabeleceu na região, fazendo dos municípios de Caldas Novas e Rio Quente, o maior complexo hoteleiro do mundo a utilizar estes recursos termais em associação ao turismo.

Somente em 1998, através de recursos de FURNAS CENTRAIS ELÉTRICAS (como ressarcimento do impacto ambiental causado pela instalação da Usina Hidrelétrica de Corumbá I na região), ganhou moderna e harmoniosa infra-estrutura física com Sede Administrativa, Centro de Recepção, Alojamento para Pesquisadores e Guardas.

Considerado pequeno em termos de proteção do bioma Cerrado, possui contudo uma amostra bem conservada deste ecossistema.

Sua proximidade urbana facilita o acesso da comunidade e dos turistas, o que conseqüentemente obriga a um controle da visitação, de forma que o Parque cumpra sua missão de preservador do Cerrado e do manancial hidrotermal, pois a Serra de Caldas é importante ponto de recarga deste manancial.   Ao mesmo tempo em que promove a visitação, sem causar impacto negativo ao ambiente, o Parque é um agente ativo em Educação Ambiental junto à comunidade e espaço destinado à pesquisa do Cerrado.


Parque das Primaveras

Para conhecer todo o encanto de Caldas Novas, não deixe de conhecer o esquema especialmente planejado para lhe proporcionar total conforto e hospitalidade, o PARQUE DAS PRIMAVERAS está situado em um local privilegiado, ocupando 25 mil m2 de muito verde. Suas instalações estão moldadas à natureza, completando um cenário de rara beleza. Suas piscinas são servidas com águas termais, permanentemente renovadas. Um mini zoológico, poço de água termo-mineral, cascatas, parque infantil enriquecem sua área de lazer. Tudo isso e muito mais você desfrutará em sua estada no HOTEL PARQUE DAS PRIMAVERAS.
Localização: Rua do Balneário Nº 01, Bairro do Turista /Fone: (62) 453-1268

Jardim Japonês

O Jardim Japonês de Caldas Novas foi construído pelo japonês Toshiyuki Murai, hoje residindo no Brasil. É um lugar de grande significado espiritualista e que deve ser visitado na companhia de um guia local treinado, que fará a interpretação dos vários componentes do Jardim.
0 Jardim Japonês tem sua origem no século XIV, quando os monges da seita Zen-Budista saíram da China para o Japão e começaram a se instalar junto aos imperadores e comandantes militares, os shoguns.
O Jardim Japonês é assimétrico, permitindo visões diferentes, dependendo do ângulo em que se estiver. Os monges precisavam de espaços especiais para fazer suas orações e meditações. Por isto, usaram elementos da natureza, como as pedras, as plantas e a água, fazendo arranjos os mais diversos.
Localização: Estrada para Goiânia ao lado do Hotel Império Romano com horários de visitação das 08:00 às 11:00s e das 13:00 às 17:00s todos os dias
.

O Lago Corumbá

O Lago Corumbá, sendo um dos melhores locais para praticar esportes náuticos, também é um local com natureza abundante proporcionando um passeio ecológico maravilhoso de barco, lancha ou Jet-Ski.
O Lago Corumbá, que abastece a Usina Hidroelétrica Corumbá I, de Furnas Centrais Elétricas, começou a ser formado em setembro de 1996. A cota (altura) máxima que o lago pode atingir é de 595 metros em relação ao nível do mar.
O perímetro do Lago de Corumbá é bastante recortado. Para circular todo o lago, uma pessoa teria de andar mais de 100 Km. A parte mais profunda do lago está próxima à barragem e atinge 90m de profundidade. Há lagos que demoram até três anos para voltarem a encher. Espera-se que o Lago Corumbá sofra alterações de no máximo 15m, na seca mais severa, ao passo que outros reservatórios chegam a perder até 25m.

Lagoa quente

A Lagoa de Piratininga, também chamado de “Lagoa Quente”, é um dos pontos Turísticos mais bonitos de Caldas Novas.
A Lagoa Quente, oferece toda infra-estrutura de camping, piscinas termais com nascente natural, quadras de areia e sauna.

A temperatura de suas águas podem chegar até 50 graus e está localizada à 6 Km do centro de Caldas Novas, às margens da estrada que liga Caldas Novas a Pires do Rio.Um lugar onde desfruta-se dos prazeres das águas quentes estando em contato direto com a natureza.